0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Twitter 0 Email -- 0 Flares ×

O que igreja é segundo a bíblia? Como ela se parece? Quais são suas características e como podemos dizer se é uma igreja bíblica? Tente responder esta pergunta sem adicionar nenhuma de suas experiências, ou o que te ensinaram, mas usando somente a bíblia.

Sabe, acho que vou fazer uma série de posts sobre o que é alguma coisa segundo a bíblia! Tudo dentro desta vertente principal, que já iniciando a resposta, Nós Somos a Igreja.

Despertou a curiosidade? Tente agora descrever com suas próprias palavras, o que você encontra na bíblia para descrever Igreja.

Sabe irmãos, eu não comecei pensando dessa forma, mas confesso que após também ter sido perguntado por outros sites e irmãos em Cristo, os quais você também pode ir atrás como WeAreChurch.com ou tlrbrazil.com.br , cheguei a uma conclusão: somos bem diferentes do que a bíblia diz.

Quando eu penso em igreja na bucha, eu penso em templo, logo penso qual religião, então penso em qual denominação é. Penso no pastor, no culto, no dia determinado para isso acontecer. E você?

A Igreja bíblica:

Assembléia de Discípulos – nós somos a Igreja

Ajuntamento de pessoas que se renasceram em Cristo e que formam o seu corpo, vivendo como Ele. Indo e fazendo novos discípulos, ensinando-os a obedecer e guardar tudo que Ele ensinou.

Como essa igreja funciona?

1 – Amando

Tudo se resume em amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. O mundo deve nos conhecer pelo amor. Um amor que só pode vir de Deus e ser manifesto através do Espírito Santo em nós. Um grupo de pessoas como uma família que se amam, que se cuidam, que conhecem suas necessidades, que dividem suas coisas, se ajudam e se suportam.

2 – Cumprindo uma missão

Pessoas que crêem no retorno de Jesus e vivem uma missão muito clara: levar ao mundo as boas novas de que Jesus é real, nos ama, e nos abriu a porta para nos reconciliarmos com Deus. Não somente isso, também garante a justiça de Deus na terra, curando os enfermos e libertando os cativos, pois é direito de todos que sejam curados.

3 – Em reunião e comunhão

Orando uns pelos outros, tendo comunhão, conhecendo a palavra de Deus, quem Ele é, quem nós somos, e qual o nosso propósito.

4 – Equipando e treinando

Instruindo outras pessoas e sendo instruídos, através de conhecimento compartilhado que é dado por Jesus em partes, em como realizar o ministério e servir ao Senhor, aprendendo que cada um pode fazer isso.

Experiência: o que você vive e o que estamos vivendo.

Pergunta: estamos experimentando isso? Você está?

É espetacular descobrir na bíblia o que é igreja, como ela começou e como foi edificada, o que fica claro no livro de Atos. O que está diferente?

Eu, minha esposa, e um grupo de pessoas decidimos viver igreja conforme diz na bíblia (não nessa ordem, mas inversamente). Temos muitos acertos, muitas novidades, e muitos desafios, mas a principal mudança é entender que Jesus é a nossa referência, é o Mestre, e nós, seus discípulos, que precisam fazer outros.

A segunda grande mudança é saber o que é o papel de todo discípulo: anunciar a Cristo, batizar pra Cristo nas águas, batizar no Espírito Santo, falar novas línguas, expulsar demônios, curar enfermos e ensinar o que Cristo nos ensinou através da obediência.

A terceira grande mudança talvez seja saber que Jesus escolheu o modelo de discípulos, pois foi assim que os discípulos começaram a viver, e os demais. Exemplo:

Curar enfermos não é um chamado específico de Deus baseado em sua soberana vontade de curar ou não. Mas uma comissão feta a todos os discípulos de ir manifestar a cura já propiciada por Jesus Cristo.

Este é um assunto que gera muita controvérsia, mas quando vivemos em discípulos, um mais antigo te ensinará na prática, e você fará instantaneamente, deixando de se recusar a crer, e passando a descobrir como pode viver mais.

E quanto aos pilares anteriores, o que temos vivido:

1 – Amor

Ainda não vivemos o amor de forma visível a todos, de modo que os demais não possam compreender, algo que só seria possível se pelo Espírito de Deus. Mas já ajudamos pessoas que Deus coloca em nossa frente, nos unindo, atendendo suas necessidades físicas, além de anunciar a palavra e fazer as demais coisas ditas acima, típicas de discípulo.

2 – Missão

A missão nos é clara. Todos envolvidos não só fazem isso, como volta e meia percebe algum conflito de porquê não está fazendo mais, ou como pode ter melhores resultados, que sejam reais, evidenciados como endossado por Deus.

Entendemos claramente que temos que ir, então vamos a parques, hospitais, casas de pessoas que nos chamam, praças, shoppings e qualquer lugar onde há pessoas. Recentemente até em bares e festas religiosas fomos, ser luz onde há trevas, médicos onde há enfermos.

Este ide acontece de forma particular, no nosso dia a dia, o que chamamos de estilo de vida cristão, mas também em grupos, muitas vezes em feriados e finais de semana.

3 – Reunião

Nos reunimos, parcialmente sem data específica. Não há obrigação de ser domingo, e nem existe um dia sagrado, onde Deus não possa nos usar em outra coisa em mesma data e hora. Aqui temos mudado estratégias para que possa sempre haver comunhão. Essas reuniões são em casas, e o público é de crentes, ou seja, pessoas que já foram batizadas.

A ceia não tem data de relógio nem de calendário, mas fazemos sempre que oportuno, em memória do Senhor. A ceia não precisa ser ministrada por uma hierarquia, mas sim dividida entre os irmãos.

Sempre tem pessoas que se destacam em falar ou participar, entretanto, temos estudado passagens juntos, onde cada pessoa pode compartilhar o que aprendeu, o que tem de dificuldade, e entendimentos que o Senhor nos dê naquele momento.

Além disso, é oportunidade de conheceremos necessidades dos irmãos, e orarmos, intercedermos e abençoarmos.

4 – Treinamento

Temos usado nossos dons como sabendo que aprendemos algo do Espírito Santo que precisamos compartilhar com outros irmãos para viver o mesmo. Ou seja, se alguém tem o dom de evangelista, tem se dedicado não somente a viver isso, como equipando os demais irmãos a fazerem o mesmo. Se alguém entendeu da parte de Deus sobre cura, não só cura os enfermos, mas capacita os irmãos a operar o mesmo pelo mesmo Espírito. Ninguém toma os holofotes como alguém especial, mas trabalha da forma planejada por Deus para que isso ganhe a escala esperada por Deus.

Estamos aprendendo muitas outras coisas para estar num modelo de “multiplicação”, mas o que sabemos, já é compartilhado com todos que chegam, e a absorção destas coisas é muito fácil. Não existe a figura de hierarquia, onde uns são chamados por Deus para operar e os outros para cooperar, não. Todos preparam a todos para que Deus possa usar quem estiver no lugar certo e disponível.

Recentemente enviamos um amado irmão ao interior do Piauí e sua vida e ações, não só pareceram com nossa aqui, mas também muito com o livro de Atos. Maravilhoso.

Possuímos o treinamento de iniciação na vida cristã normal, e temos iniciado treinamentos com foco em fazer discípulos.

É necessário mudar

As coisas tem que mudar, não é opcional. Temos a opção de fazer o que quisermos, desde que não fira a palavra de Deus, e desde que estejamos fazendo o que a bíblia nos ordena fazer. Se não estamos fazendo, precisamos mudar, e repetindo, não é opcional.

Se queremos que o mundo seja ganho por Jesus, precisamos plantar muitas igrejas. E para que complicar as igrejas, procurando tanto recursos e pouco a presença de quem faz a igreja?

Quando pensamos em igreja, pensamos em um bom pastor, uma boa palavra, um prédio, uma boa banda, etc. Mas não é isso que vemos lá na bíblia. No novo testamento, as pessoas seguem a Jesus, e se amam como uma família, acreditando que são a noiva, o noivo está para voltar, e são focadas na sua missão de espalhar o amor de Jesus, treinando umas as outras para ir e obedecer.

E como podemos focar em fazer o que realmente precisamos fazer? Deixando de lado o que não está descrito na bíblia, e fazendo o que está escrito lá. Vemos por lá que as reuniões aconteciam em casas, e que as igrejas se chamavam “Igreja que se reune na casa do irmão fulano”. Nas casas podemos nos conhecer, nos cuidar e viver como uma família.

Não precisamos de salários para pastores também, pelo menos não de modo geral, porque alguém pode cuidar de 2 ou 3 pessoas sem salários, sem prédios e todas estas coisas. Pastores também, via de regra, são pessoas que vão cuidar de ovelhas, o que não precisa ser 1 pra 100, e muito menos pra vida toda.

Reuniões em casa nos permite focar em amar as pessoas e aprendermos o quanto nós podemos nos amar semanalmente.

Precisamos aprender também a servir. Se hoje somos ovelhas em um ajuntamento, e começamos a trabalhar, precisamos nos equipar para cuidar daqueles que Jesus nos enviará.

Não se trata de processos, nem de nada perfeito. Na verdade, passamos tantos anos longe do que tudo se parece na bíblia, que provavelmente o caminho de retorno demore algum tempo.

Hoje o foco comum é de se ter igrejas e denominações que arrebanhe 10 mil membros associados e quem sabe chegar ao maior templo já construído… mas… encontramos nos dias atuais formas mais eficientes de ganhar as nações, como na China, sem prédios, sem salários, e uma multiplicação maravilhosa de cem milhões de pessoas. Mais bíblico, mais amor, mais comunhão, mais missão, mais pessoas preparadas para multiplicar novos grupos.

Não quer dizer que seja a única maneira, mas certamente é algo que devemos perseguir.

O que igreja é? Igreja é você e eu, sendo discípulos e cumprindo a grande comissão.