0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Twitter 0 Email -- 0 Flares ×

O que quero conversar hoje é sobre o que o evangelho diz para nós, homens conforme a graça e não conforme a lei. Esta verdade bíblica que tão poucos aceitam, e menos ainda que vivem conforme ela. O estudo segue sobre o que a bíblia diz dos judeus (povo que teria sido escolhido como povo de Deus), e os não judeus (o resto do povo) conforme a descendência de Abraão, a quem Deus fez esta promessa. Que descendência é essa, porque é verdadeira, e porque ela vale para todos nós. Graça e Fé, e não razão sobre a lei. Esse é o evangelho de Cristo.

Mas do que demonstrar qual é o evangelho de Cristo, queremos chamar a verdade em Cristo para aqueles cristãos que estão a margem, e são convidados a estarem vivendo novamente debaixo da Graça de Deus.

Na verdade não existe outro evangelho, porém isto foi dito porque há algumas pessoas que perturbam por aí, querem mudar o evangelho de Cristo. Mas a bíblia diz que se alguém, mesmo que fossem os próprio apóstolos ou um anjo do céu, anunciasse um evangelho diferente daquele que foi anunciado, que seja anátema, ou amaldiçoado! Por acaso procuramos a aprovação das pessoas? Não! O que eu quero é a aprovação de Deus. Será que agora estou querendo agradar as pessoas? Se estivesse, eu não seria servo de Cristo.

Sabemos que todos são aceitos por Deus somente pela fé em Jesus Cristo e não por fazerem o que a lei manda. Assim nós também temos crido em Cristo Jesus a fim de sermos aceitos por Deus pela nossa fé em Cristo e não por fazermos o que a lei manda. Pois ninguém é aceito por Deus por fazer o que a lei manda. Ao procurarmos ser aceitos por Deus por estarmos unidos com Cristo, fica claro que somos “pecadores” como os não-judeus. Mas será que isso quer dizer que Cristo trabalha em favor do pecado? Claro que não! Se eu, depois de ter destruído a lei, começar a construí-la de novo como meio de ser aceito por Deus, aí, sim, fica claro que eu havia quebrado a lei. Pois, quanto à lei, estou morto, morto pela própria lei, a fim de viver para Deus. Eu fui morto com Cristo na cruz. Assim já não sou eu quem vive, mas Cristo é quem vive em mim. E esta vida que vivo agora, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se deu a si mesmo por mim. Eu me recuso a rejeitar a graça de Deus. Pois, se é por meio da lei que as pessoas são aceitas por Deus, então a morte de Cristo não adiantou nada!

Pensar o contrário é falta de juízo, é como estar enfeitiçado! Na pregação ao fazer uma descrição perfeita da morte de Jesus Cristo na cruz; por assim dizer, é como se víssemos Jesus na cruz. Acaso nós que recebemos o Espírito de Deus, recebemos por termos feito o que a lei manda ou por termos ouvido a mensagem do evangelho e termos crido nela? Pensar que é pela lei é ter muito pouco juízo! Nós começamos a vida cristã pelo poder do Espírito de Deus e agora devemos querer ir até o fim pelas nossas próprias forças? Será que as coisas pelas quais nós passamos não servem para nada? Não é possível! Será que, quando Deus dá o seu Espírito e faz milagres entre nós, é porque nós fazemos o que a lei manda? Não será que é porque nós ouvimos a mensagem e cremos nela?

Observe o que a Bíblia diz a respeito de Abraão: “Ele creu em Deus, e por isso Deus o aceitou.” Portanto, nós devemos saber que os verdadeiros descendentes de Abraão são os que têm fé. Antes que isso acontecesse, as Escrituras previram que Deus ia aceitar os não-judeus por meio da fé. Por isso, antes de chegar o tempo, elas anunciaram a boa notícia a Abraão, dizendo: “Por meio de você, Deus abençoará todos os povos.” Abraão creu e foi abençoado; portanto, todos os que crêem são abençoados como ele foi.

Os que confiam na sua obediência à lei estão debaixo da maldição de Deus. Pois a Palavra diz: “Quem não obedece sempre a tudo o que está escrito no Livro da Lei está debaixo da maldição de Deus.” É claro que ninguém é aceito por Deus por meio da lei, pois a Palavra também diz: “Viverá aquele que, por meio da fé, é aceito por Deus.” Mas a lei não tem nada a ver com a fé. Pelo contrário, como dizem as Escrituras: “Viverá aquele que fizer o que a lei manda.”

Porém Cristo, tornando-se maldição por nós, nos livrou da maldição imposta pela lei. Como diz a Bíblia: “Maldito todo aquele que for pendurado numa cruz!” Cristo fez isso para que a bênção que Deus prometeu a Abraão seja dada, por meio de Cristo Jesus, aos não-judeus (incircuncisos) e para que todos nós recebamos por meio da fé o Espírito que Deus prometeu.

Meu irmão, no exemplo da vida diária: quando duas pessoas combinam alguma coisa e assinam um contrato, ninguém pode quebrá-lo ou acrescentar qualquer coisa a ele. Deus fez as suas promessas a Abraão e ao seu descendente. Quando a Bíblia diz que Deus fez as suas promessas a Abraão “e à sua descendência”, ela não quer dizer que se trata de muitas pessoas, mas de uma só, isto é, Cristo. Explicando melhor: Deus fez uma aliança com Abraão e prometeu cumpri-la. A lei, que foi dada muitos anos depois, não pode quebrar aquela aliança, nem anular a promessa de Deus. Porque, se aquilo que Deus dá depende da lei, então o que Ele dá já não depende da sua promessa. Mas o que Deus deu a Abraão, ele deu porque havia prometido. Então, por que é que foi dada a lei? Ela foi dada para mostrar as coisas que são contra a vontade de Deus. A lei devia durar até que viesse o descendente de Abraão, pois a promessa foi feita a esse descendente. A lei foi entregue por anjos, e um homem serviu de intermediário (Moisés). Porém não é preciso haver intermediário quando se está falando de uma só pessoa; e Deus é um só.

Será que isso quer dizer que a lei é contra as promessas de Deus? É claro que não! Porque, se tivesse sido dada uma lei que pudesse dar vida às pessoas, então elas seriam aceitas por Deus por obedecerem a ela. Porém a Bíblia afirma que o mundo inteiro está dominado pelo pecado, e isso para que as pessoas que crêem recebam o que Deus promete aos que têm fé em Jesus Cristo.

Mas, antes que chegasse o tempo da fé, nós éramos prisioneiros da lei, até que fosse revelada a fé que devia vir. Assim, a lei ficou tomando conta de nós até que Cristo viesse para podermos ser aceitos por Deus por meio da fé. Agora que chegou o tempo da fé, não precisamos mais da lei para tomar conta de nós.

Pois, por meio da fé em Cristo Jesus, todos nós que cremos nEle somos filhos de Deus. Porque o nosso batismo é para ficarmos unidos com Cristo e assim nos revestirmos com as qualidades do próprio Cristo. Desse modo não existe diferença conforme a raça, entre pessoas simples e pessoas de muitos bens, entre homens e mulheres: todos nós somos um só por estarmos unidos com Cristo Jesus. E, já que pertencemos a Cristo, então somos descendentes de Abraão e recebemos aquilo que Deus prometeu.

Entenda isso, enquanto é menor de idade, o filho que vai herdar um bem ou negócio do pai é tratado como quem não é dono, mesmo sendo, de fato, o dono de tudo. Enquanto é menor, há pessoas que tomam conta dele e cuidam dos seus negócios até o tempo marcado pelo pai. Assim também nós, antes de ficarmos adultos espiritualmente, fomos escravos dos poderes espirituais que dominam o mundo. Mas, quando chegou o tempo certo, Deus enviou o seu próprio Filho, que veio como filho de mãe humana e viveu debaixo da lei para libertar os que estavam debaixo da lei, a fim de que nós pudéssemos nos tornar filhos de Deus.

E, para mostrar que nós somos seus filhos, Deus enviou o Espírito do seu Filho ao nosso coração, o Espírito que exclama: “Pai, meu Pai.” (Esse é o Espírito Consolador) Assim nós não somos mais escravos (nem criaturas); somos filhos. E, já que somos filhos, Deus nos dará tudo o que ele tem para dar aos seus filhos.

No passado nós não conheciamos a Deus e por isso éramos escravos (necessitados de suas ajudas, de seu conhecimento) de deuses (entes espirituais) que, de fato, não são deuses (não são o que dizem, seja lá o que for). Mas, agora que nós conhecemos a Deus, ou melhor, agora que Deus nos conhece, como é que nós voltaríamos para aqueles poderes espirituais fracos e sem valor? Por que quereríamos nos tornar escravos deles outra vez?

Vocês que querem estar debaixo da lei, me digam uma coisa: vocês não estão ouvindo o que a Lei diz? Ela diz que Abraão teve dois filhos: um, de uma escrava, Agar; e outro, de uma mulher livre, Sara. O filho da escrava foi gerado como todas as crianças são geradas, mas o filho da mulher livre foi gerado por causa da promessa de Deus. Isto serve como um símbolo: as duas mulheres representam as duas alianças. Uma aliança é a do monte Sinai e está representada por Agar. Os que são dessa aliança nascem escravos. Pois Agar representa o monte Sinai, e Agar é o símbolo do povo atual, que é escravo, chamado na bíblia como a Jerusalém. Mas a Jerusalém celestial é livre e é essa que é a nossa mãe.

Lembre-se que a Bíblia diz que: “Você, mulher que nunca teve filhos, fique alegre! Você que nunca sentiu dores de parto, grite de alegria! Pois a mulher abandonada terá mais filhos do que a que mora com o marido.”

Nós somos como Isaque; somos filhos de Deus por causa da promessa divina. Naquela época o filho que havia sido gerado como todas as crianças são geradas perseguiu o que havia sido gerado por causa do Espírito de Deus; e a mesma coisa está acontecendo agora. Mas o que é que as Escrituras Sagradas dizem? Elas dizem: “Mande embora a escrava e o filho dela, pois o filho da escrava não herdará a propriedade do pai, junto com o filho da mulher livre.” Portanto, meus irmãos, nós não somos filhos de uma escrava, mas de uma mulher livre.

Cristo nos libertou para que nós sejamos realmente livres. Por isso, devemos continuar firmes como pessoas livres e não se tornem escravos novamente.

Entenda bem, se nós nos deixarmos que nos circuncidem (ou seja, viver debaixo da lei, conforme nossos atos, lei de causa e efeito, aqui se faz aqui se paga, reencarnação, e evolução rumo ao Pai por nossas atitudes, etc), então Cristo não tem nenhum valor, nada valeu o que Ele fez na cruz do calvário. Todo e qualquer homem que se deixar circuncindar-se (viver pelos seus atos, pelos seus méritos), esse homem é obrigado a obedecer a toda a lei. Vocês que querem que Deus os aceite porque obedecem à lei (conforme a caridade que fazem por, perdão que praticam, atitudes boas que realizam, etc) estão separados de Cristo e não têm a graça de Deus (porque muito também falharam e logo o pecado se fez presente). Mas nós temos a esperança de que Deus nos aceitará, e é isso o que esperamos pelo poder do Espírito de Deus, que age por meio da nossa fé. Pois, quando estamos unidos com Cristo Jesus, não faz diferença nenhuma estar ou não estar circuncidado (sinal de estar debaixo da lei). O que importa é a fé que age por meio do amor.

Essa é a verdade! Mas quem convenceria a deixá-la ou chegar até ela? É claro que quem os convenceu a isso não é Deus, que nos chama. Como dizem por aí: “Um pouco de fermento fermenta toda a massa.” Mas eu ainda tenho confiança naqueles que lêem essa palavra. Essa união com o Senhor me dá a certeza de que pensarão da maneira certa (pois esta palavra não volta vazia).

Porém, se eu anunciasse que na lei está a salvação, por que seria eu questionado? Se eu anunciasse isso, então a minha pregação a respeito da cruz de Cristo não causaria dificuldade para ninguém.

Porém nós que vivemos conforme a Graça de Deus em Cristo Jesus fomos chamados para sermos livres. Mas essa liberdade não deve se tornar uma desculpa para permitir que a natureza humana nos domine. Pelo contrário, que o amor nos faça servir uns aos outros (fazendo dentre outras coisas, a caridade). Pois a lei inteira se resume em um mandamento só: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” Mas, se agirmos como animais selvagens, ferindo e prejudicando uns aos outros, então devemos ter cuidado para não acabarmos nos matando!

Quero te dizer o seguinte: é necessário deixar que o Espírito de Deus dirija a vida dos homens e não obedecer aos desejos da natureza humana. Porque o que a nossa natureza humana quer é contra o que o Espírito quer, e o que o Espírito quer é contra o que a natureza humana quer. Os dois são inimigos, e por isso nós (homens) não podem fazer o que queremos. Porém, se é o Espírito de Deus que nos guia, então não estamos debaixo da lei.

As coisas que a natureza humana produz são bem conhecidas. Elas são: a imoralidade sexual, as ações indecentes,  a impureza, a adoração de ídolos, as feitiçarias, as inimizades, as brigas, as ciumeiras, os acessos de raiva, a ambição egoísta, a desunião, as divisões, as invejas, as bebedeiras, as farras e outras coisas parecidas com essas. A bíblia diz que os que fazem essas coisas não receberão o Reino de Deus. Mas o Espírito de Deus produz o amor, a alegria, a paz, a paciência, a delicadeza, a bondade, a fidelidade, a humildade e o domínio próprio. Não é isso? Bom, contra essas coisas não existe lei. As pessoas que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a natureza humana delas, junto com todas as paixões e desejos dessa natureza. Se vivemos em Espírito, andamos também no Espírito, é isso que Deus quer.

Para você que pegou e entendeu, concorda que não há como discordar dessa verdade bíblia, deixe somente seu comentário!

Em Cristo Jesus,

Ricardo de Magalhães Cruz
Bíblia NTLH