2 Flares Facebook 0 Google+ 0 Twitter 2 Email -- 2 Flares ×

Vamos ver um pouco sobre isso!

João 3

1¶ E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.
2Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.
3Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
4Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?
5Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
6O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
7Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.
8O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.
9Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso?
10Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto?
11Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos, e testificamos o que vimos; e não aceitais o nosso testemunho.
12Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?
13Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu.
14E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;
15Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
16Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
17Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
18Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

Esse texto é considerado a maior chave bíblica para a salvação do homem, para o entendimento do amor de Deus, para a consciência do homem, sobre as coisas da terra, e as coisas de Deus.
Outrora, citei diversas vezes este texto, e em cima do meu entendimento, como algo irrefutável, como desdém, aqueles que talvez não compreendessem a dita reencarnação. Que não entendiam o nascer novamente, como a reencarnação, ao ponto de um homem conceituado na época ter o comentário mais infantil que poderíamos ouvir: como pode um homem nascer de novo, teria este que tornar ao ventre da mãe?
Porém, ao subjulgar este fariseu, e nos considerarmos hoje superevoluídos, porque alguns tem uma teoria como chave para ler o texto, estamos deixando de ler o que está claro no texto.
O texto fala sobre ver o reino dos céus, para entender as maravilhas de Deus, para entender sobre o amor de Deus, para compreender porque existe sofrimento no mundo, e porque Deus, acima da justiça, resolve se compadecer dos homens e trazer a eles amor, esperança, vida.
Jesus fala que para ver o reino dos céus, é necessário nascer novamente. Aos que gostariam de utilizar deste texto para dizer que aqui Ele se referia a reencarnação, eu gosto de começar pelo óbvio. Troquemos pois o que foi dito, pelo que ele gostaria de ter dito, e aliás, porque será que não disse logo isso.
“Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não reencarnar, não pode ver o reino de Deus.” (texto suposto)
O que a reencarnação teria haver com ver o reino de Deus? Segundo a tese reencarnacionista, o homem poderia ter nascido somente uma vez, como simples e ignorante, e logo após morrer, e então conhecer o reino de Deus. Conhecer o mundo espiritual, conhecer o que há do outro lado, de maneira alguma se faz necessário nascer mais uma vez e morrer para poder ver este reino. E se reencarna 1 ou 1000000 de vezes, continua sem mudar nada. Se o homem inicia sua jornada evolutiva como simples e ignorante, isto não o afasta de Deus em hipótese alguma, visto que o que nos faz separação de Deus não é a ignorância e sim a maldade e o pecado. Podemos comparar um homem simples e ignorante como uma criança. Quanto mais nova uma criança for, mas simples e ignorante ela será. Porém, o próprio Cristo disse que o reino de Deus são das crianças.
Quanto mais o homem evolui, afasta da ignorância e simplicidade, eleva sua inteligência, mais conhece, mais anseia, mais cobiça, mais erra, e mais se afasta de Deus. O caminho definitivamente não é esse.
Essa teoria de mundos, até chegar ao quinto deles, para falar que ascendeu intelectualmente até faz sentido, mas moralmente, é bem contestável. Conheço diversas pessoas que hoje se consideram milhares de vezes piores do que eram quando tinham 20 anos de idade. Consideram a suas encarnações perdidas. E então vem com o papo de que se pode repetir as séries eternamente, mas nunca retroceder. Ele pode não retroceder no que ascendeu intelectualmente, mas moralmente pode sim, e muito. Isto por si só elimina o livre-arbítrio. Não é por aí.

Eu gosto mais do que Jesus fala no texto, e o que Ele diz? Ele poderia ter dito, aquele que ao morrer, perderá seu corpo, mas seu espírito permanecerá, e um dia terá outra oportunidade de, com o mesmo espírito, vir em outro corpo, e então nascer de novo. Mas ele foi claro e disse, aquele que não nascer da água e do espírito.
Isto é fantástico, porque o que está dizendo aqui, não é uma alegoria, ou uma tese isolada, mas a bíblia inteira fala isso do início ao fim, o contexto bíblico é claro, e Jesus obviamente falava do contexto, da chave, falava do que estava para acontecer. Falava que aquele que não nascer da água (que simboliza a palavra de Deus), e do espírito (que simboliza o Espírito de Deus), não poderá ver o reino de Deus.
Por que? Porque a palavra de Deus nos leva a Ele. E entre este elo da palavra e Deus, está o Espírito dEle, que Jesus nos deixou em seu lugar, para nos levar até Ele, através do próprio sacrifício que Ele estava por fazer.
A palavra por sí só é morta, mas o Espírito a vivifica. Os discípulos de Jesus nada faziam enquanto não foram revestidos do Espírito, mas após serem nascidos do Espírito, usaram da palavra para fazer cumprir a vontade de Deus.
Aquele que conhece a palavra de Deus, e chega a Deus, aceitou o sacrifício de Jesus, que se fez fiador por nós, afinal de contas, Ele foi o único que pode fazer isso, e então recebemos uma nova vida, com acesso ao reino de Deus, através da ponte criada na cruz do calvário, direto a Deus.
Ao analisar a vida de Paulo, Ele não teve que morrer e nascer de novo para ter sua vida radicalmente mudada. Totalmente radical. Pensemos em quantas encarnações ele precisaria para isso, mas bastou um encontro com Jesus, que o fez nascer da água e do Espírito. Aliás, este homem está claramente citado como aquele que conheceu o reino de Deus. Ou porque não falar de João?

Antes de nascer da água, batismo, morrer para o velho homem, e nascer para Deus, através de sua palavra e nossa confissão, eu sabia sobre Deus, atributos que o colocavam no lugar onde Ele em teoria está, mas era isso, a minha vida devia ser seguida pela minha força e vontade, onde através do conhecimento, eu elevaria a minha moral, teria ajuda de amigos desencarnados, que não poderia fazer muito além do que eu, porque homens seriam, até que a vida dá uns apertos no cabra, que ele sai dessa filosofia e encara a realidade, muitas vezes cruel e fria.
Mas depois que entendi o chamado de Deus pela sua palavra, e me batizei, nascendo da água e do espírito, Deus passou a ser presente em minha vida o tempo inteiro, passei a conhecer coisas espirituais que não conhecia antes, passei a conhecer um outro lado de Deus, que não fazia idéia, passei a conhecer o seu amor, de uma maneira não compreendida, mas vivida. Comecei a viver um pouco do reino de Deus aqui mesmo, na terra. Consegui vencer limitações próprias até então não superadas, e jamais imaginadas, onde talvez tenha até dito, que precisaria de dezenas de reencarnações para superá-las. Por enquanto ia fazendo o que já tinha predisposição, e isso tinha que ficar claro, a caridade.

Maravilhoso foi o momento em que entendi que não estava preocupado em qual doutrina seguir, mas que gostaria de ascender moralmente. Queria ser melhor do que eu era, e queria vencer o mal que não conseguia. E entendi que o melhor caminho para isso é entendendo cada dia mais sobre o que o Senhor Jesus ensinou, e não sobre ensinamentos de justificações. Afinal de contas, se ao morrer, as coisas fossem como o espiritismo diz que são, eu não ia perder nada tentando ser um cristão que a bíblia quer que sejamos. Mas se as coisas são como a bíblia diz que são, seguindo ao espiritismo, e ao meu egocentrismo, eu perderia a maravilhosa graça e amor de Deus por mim. Agora o mais legal de tudo é que eu não precisei morrer para ver que escolhi certo, porque o reino de Deus já chegou rapidinho! Essa palavra não torna vazia!

Mas Jesus continua dissertando, e nos fala que o que é nascido da carne, é carne, e do espírito, é espírito. Ou seja, para nascer para o reino de Deus, não é através das múltiplas encarnações na carne, mas da única, no espírito. É por isso que na mesma palavra nos diz que as coisas do Espírito são discernidas com o Espírito, e da carne, com a carne.
O conhecimento deste mundo é bom, para as coisas daqui. Mas o conhecimento das coisas de Deus são melhores ainda, e são eternas. No livro de Deuteronomio, nos fala que há muitos mistérios entre os céus e a terra, mas os revelados por Deus (por Deus), são para nós, e nossos filhos. Essas revelações nos trazem vida, e nos afasta da morte que nos consome dia após dia. E também nos leva a pregar e a ensinar a pessoas que precisam das mesmas revelações, porque o Espírito as vivifica e então passam a ser vida para as pessoas que a recebem, o que a bíblia trata como rios de águas vivas.
Água, e Espírito.

Mas o Senhor continua nos falando, a respeito das coisas terrestres, e das coisas celestiais. E se não conseguimos acreditar nas coisas terrestres, quanto mais das celestiais. Então você agora para e pensa, quais são as coisas terrestres que eu não aceito de forma alguma, essas são impossíveis, sem lógica, minha ciência não explica, meu saber não o comporta. Agora pense nas celestiais, precisam ser discernidas com o Espírito de Deus, que é quem o viu, ve e verá, sabe do que se trata porque lhe é próprio.
Explicar isso como nascer e morrer de novo e nascer novamente é tão simples de entender que não vejo mistério nenhum, aliás, espiritualidade e reencarnação não são teorias kardecistas, já existiam antes de Jesus. Mas Jesus ali já falava das coisas celestes, as coisas que via e vê.

Então o que Ele queria com tudo isso? Cumprir a vontade de Deus. Que é a de que ninguém pereça, mas tenha a vida eterna. E como? Cumprindo a obra que realizou. Foi obediente até a morte, e morte de cruz.

Filipenses 2

5De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
6Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
7Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
8E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.
9Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;
10Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
11E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.
12¶ De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor;
13Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.

E aqui Ele abriu as comportas das águas e do Espírito para os homens. Porque Deus amou aos homens de tal maneira, que deu o seu único filho para que todo aquele que nEle crê não pereça mas tenha vida eterna. O amor de Deus é tão imenso, que assim Ele fez, criou uma maneira de achegarmos novamente ao seu reino, e pagou o preço completo e alto por isso. E se você está no Brasil, precisa comprar o que queira com o Real, porque é a moeda que é aceita. Se está nos Estados Unidos, precisa utilizar o dólar. Se quer ir ao Reino de Deus, precisa utilizar a moeda válida lá, Jesus, o Nome de Jesus, o Sangue de Jesus, o Único Caminho, a única Verdade, a própria Vida, e não o seu achar, não vale nada lá.

18Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

E por fim, quem crê nEle não é condenado, independente de quantas vezes acha que vai morrer e nascer. Agora quem crê no nome do então unigênito, agora primogênito, esses chegarão ao reino de Deus. Para os que se dizem cristãos e entendem e recebem a palavra dEle, que alegria por isso! Para os que são simpatizantes, mas preferem outras doutrinas ou o seu próprio achar, é uma pena, pois se não creu nisso, já está condenado. Palavras minhas? Não! Daquele que no início era o verbo, que estava com Deus e era Deus. E então se fez carne. No princípio, tudo foi feito pela palavra, e no fim, as próprias palavras se cumprirão de seu juízo. Afinal, Jesus disse que Ele não condenará ninguém, mas a sua própria palavra o fará.

A grande verdade é que Jesus está o tempo inteiro querendo nos trazer para a vida, mas insistimos na morte. Porque ser cristão é ruim? Um cristão está preocupado em saber a vontade de Deus e vivê-la. Essa vontade nunca é de mal, de morte, de algo ruim. Sempre são de crescimento, de ver as maravilhas de Deus se cumprindo. Um cristão quer viver o que Jesus prometeu que eles viveriam, um cristão quer estar semelhante aos cristãos da primeira igreja, que abraçarão e receberão essa nova vida. Um cristão quer ver se cumprir aquilo que Ele não entende, quer ver Deus mostrando a cada dia que é superior a Ele. Quer entender que nasceu para ser dependente de Deus, que depende a cada dia, e portanto, viver a provisão de Deus que é maravilhosa. Um cristão quer que os outros conheçam isso também. Um cristão não está preocupado que os outros vão para a igreja dele, nem que fiquem ali o ouvindo eternamente. Mas se alegra ao saber que alguém conheceu a Deus, e que dali pra frente, sua vida nunca mais será a mesma. Um cristão chora por alguém que nunca viu, mas que sabe que está morrendo espiritualmente, porque o Espírito de Deus lamenta cada um destes. Um cristão quer ver o livro da vida repleto de nomes, até de seus inimigos, porque na verdade, sabe que só um é inimigo, e passa a entender que Deus odeia o pecado, mas ama com todo o seu ser o pecador.

Que o Senhor Jesus nos abençoe, hoje e sempre!

Ricardo de Magalhães Cruz
[email protected]