0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Twitter 0 Email -- 0 Flares ×

Quando Simão Pedro viu o que havia acontecido, ajoelhou-se diante de Jesus e disse:
— Senhor, afaste-se de mim, pois eu sou um pecador! (Lucas 5:8 NTLH)

Nesta passagem observamos alguns detalhes importantes para aqueles que entram na presença de Jesus e querem permanecer Nele.

O texto diz que Jesus se aproximou dos barcos e pediu para subir nele se afastando da multidão para lhes ensinar.

Aqui já é importante observar dois pontos, o primeiro é que Jesus estava junto com a multidão, assim como hoje Ele esta junto da multidão de pessoas que se admiram, interessam por sua palavra, pelo que ouviram e ouvem falar. Neste momento muitas vezes observamos as partes morais que chamam a atenção. Era alguém ali que despertava atenção pela presença santa, sabedoria, milagres e autoridade que falava. Ele realmente não é como os outros, e grande parte dos que ouvimos dizer que são cristãos estão aqui, ouvindo falar, no meio da confusão, parte da palavra, mas isso é só, estão de um lado, e Jesus, que é do outro lado, simplesmente passou, a experiência foi passageira.

Porém, após isso, Jesus identificou barcos que pudesse navegar, dirigir, e perguntou se poderia adentrar a esse barco.

Da mesma forma é nas nossas vidas, muitas vezes estamos só ouvindo, de fora, mas Jesus chega a porta e bate. Ele quer entrar, Ele quer comandar o barco. Isso significa perder parte ou quem sabe toda a liberdade que achas que tem. É entregar o direcionamento do barco a alguém que ainda não conhece tão bem, mas sente que deve fazê-lo porque lhe fala ao coração. A verdade é que quem toma esta atitude nunca mais é o mesmo, nem as suas situações.

Pedro o aceita em seu barco, e ao ouvir as novas ordens as cumpre: se afastar da multidão.

Quando Jesus toma a direção, precisamos nos afastar das multidões para ouví-lo falar em um outro nível e em outra profundidade, porque a partir de agora Ele não vai mais só falar, Ele vai trabalhar em sua vida. Apesar Dele nunca parar e estar sempre falando a multidão, Ele ao mesmo tempo começa a falar individualmente com você, algo vai acontecer com você.

Lá está Jesus falando, quando Ele percebe que está na hora de mudar algo, Ele se aproximou, você se abriu e Ele começou a ver as suas necessidades, na verdade Ele já havia visto, mas agora você deu a liberdade a Ele de entrar e tocar naquilo que há necessidade. Porém, Ele zeloso como é, simplesmente convida a Pedro a tomar uma atitude, não mais conforme seus planos, mas mediante a palavra de Jesus. Ô coisa maravilhosa é quando a palavra não é mais somente admirável, mas viva em nossas vidas. Quando entendemos que nesta palavra há poder para fazer o sobrenatural, aquilo que não podemos, aquilo que vai de encontro as nossas necessidades e está acima de nossa compreensão.

Pedro entendeu algo maravilhoso, que Jesus louvou a Deus por ter dado aos humildes conhecerem. O conhecimento do homem é bem menor do que ele acha que é. Pedro poderia ter dito: está querendo me ensinar a pescar? Não sabes a quanto tempo faço tais coisas? Nã sabes que eu sou Pedro, o pescador de peixes? Mas ele desceu de todo e qualquer salto que existisse, porque ele já havia tomado uma decisão de experimentar o Senhor como quem o guia e disse: Senhor, porque és tu quem pedes, eu vou jogar, eu vou obedecer. Não é por lógica, não é por conhecimento, é pela fé na tua palavra. Ora, Jesus continuou ali a falar depois que entrou no barco para lhe conceder fé pelo ouvir e ouvir a sua palavra.

Ao lançar as redes, o inesperado aconteceu, aqueles que já haviam desistido e lavavam as redes, ao agir conforme a palavra de Jesus receberam não só o que esperaram durante toda a noite, mas a provisão abundante de Cristo em nossas vidas através da realização de um milagre.

A benção foi tão grande que as redes davam sinal de não agüentar segurar, característica comum daqueles que estão iniciando a caminhada com Jesus, e logo outro barco teve que se achegar para suportar o tamanho da provisão. Alcançou ainda aqueles que estavam do lado.

Mas o mais importante de tudo, é o que aconteceu com Pedro. Quando temos uma experiência pessoal com Jesus nossas vidas nunca mais são as mesmas, nem a nossa forma de ver as coisas e principalmente a nós mesmos. Pedro disse, afaste-se de mim porque eu sou pecador.

Quando vemos a perfeição, a santidade de Jesus, nos sentimos constrangidos em sua presença, porque só assim conseguimos ver o que realmente somos, pecadores, e muito! E mais do que isso, vemos a nossa condição, e sabendo disso, Jesus dá a deixa da solução, siga-me e os farei pescadores de homens. Esse é o nosso chamado, todos temos esta missão e quando vivemos isto, experimentamos de uma alegria e paz que está sobre o entendimento humano.

A multidão ali não fazia a menor idéia do que Pedro havia descoberto, porque não receberam Cristo para guiar suas vidas, andar conforme a sua palavra, somente ouviam, refletiam e se alegravam até vir os pássaros do céu tomar-lhes a palavra, ou os espinhos desta vida.

Mas não Pedro, esse nunca mais foi o mesmo, a bíblia nos conta quem ele foi, porque saiu da multidão, recebeu Jesus em seu barco, lhe entregou a direção, agiu mediante a sua palavra, teve experiências com Ele, e depois ainda foi batizado em seu Espírito Santo.

Assim deve ser com todos nós, mas você só vai entender se viver e experimentar Cristo. Se abrir mão da primazia do seu conhecimento para experimentar a do Senhor Jesus.

Onde você se encontra hoje? O Senhor te convida a águas profundas hoje, você vai?

Em Cristo,

Ricardo de Magalhães Cruz
[email protected]