logo

Você é demais

Obrigado por estar com a gente. Estamos trabalhando duro para abençoar sua vida. E queremos muito te ouvir, você pode falar conosco através dos canais abaixo.

Instagram

0
  • No products in the cart.
0
  • No products in the cart.

Estudos Bíblicos

Pedra Angular Brasil > Estudos Bíblicos (Page 3)
Óleo de unção

** Nota: Qualquer dia vou refatorar alguns textos aqui no blog, mas hoje, após sermos tirarmos alguns óculos religiosos, entendemos que a unção do novo testamento é o Espírito Santo de Deus, e não temos como ter somente o pé ou o braço dele. É uma pessoa, e é completo. Com relação a ungir para cura, vemos que a carta de Tiago é a mais antiga do novo testamento, e eles ainda estavam conhecendo o novo, entretanto, no próprio texto fica claro que é a oração de fé que cura. Hoje estamos caminhando muito nessa área de cura, e te digo que nem lembramos de óleo, e as curas são uma atrás da outra. Se alguém quiser ser ungida, sem problema, mas definitivamente está claro que não há necessidade disso.

Caso ainda queira continuar lendo, boa leitura. Um abraço do mano Ricardo.

Vamos detalhar aqui e nos comentários sobre este famoso óleo de unção. Uma receita, um ordenamento, consagrações, revelações. Santificação. Veja um pouco de teoria, mas de maneira prática, sobre o que a bíblia trata a respeito:

Meditação sobre Mateus 25:31-46

Muito aquém de falar sobre o livro de apocalipse ou sobre a primeira carta de Paulo aos Tessalonicenses, pretendo fazer uma abordagem séria da exortação que Cristo nos deixou, e ainda diz a quem quer que leia, escute.

Muitas vezes os religiosos se preocupam muito com o aceitar e confessar a Jesus Cristo como Senhor e Salvador, o que não sou nem um pouco doido de discordar, mas acaba perdendo um pouco a também importância do amor ao próximo, da postura que devemos ter enquanto servos do Senhor Jesus.

E eis que ficarás mudo, e não poderás falar até ao dia em que estas coisas aconteçam; porquanto não creste nas minhas palavras, que a seu tempo se hão de cumprir”(Lc 1:20)

Após tantos textos falando sobre promessa, estudaremos mais um a respeito. Mas por que tantos textos falando sobre promessas, aguardando estas promessas, o que ocorre entre este período? Bem, parece que é o que Deus quer falar ao meu coração, e a de alguns de vocês. Mas vamos ao tema de hoje: recebi uma promessa de Deus, e agora?

Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra (At 1:8).”

Foi assim que Cristo se despediu de seus discípulos, deixando uma promessa.

Hoje, dois mil anos depois, continuamos recebendo promessas da parte de Deus a respeito de ministério, vida sentimental, familiar, financeira, ou até mesmo do batismo no Espírito Santo. Assim como Cristo prometeu aos seus discípulos, assim tem feito conosco, cristãos.

Amados, como é bom glorificar a Deus pelos seus atributos divinos. Como é bom louvar a Deus, por nos mostrar o quanto é bom e fiel! Como é bom quando questionamos Deus, e então vemos que é um Deus de aliança, um Deus de promessas, um Deus de resposta.

Nós, enquanto falamos de atributos da matéria, da carne, do homem que perece, somos pobres e necessitados. Pobres porque nada verdadeiramente nos pertence nesta terra, do pó viemos, para o pó retornaremos. Necessitados, de algo ou alguém que seja diferente do que somos, necessitados de um Deus, um Deus vivo, que liberta, que auxilia, que cuida. Por isso ó Deus meu, não te detenhas, eu preciso de ti.

Em meio a uma confusão de sentimentos e emoções, Deus me levou a fonte, a bíblia sagrada, me falando muito através de seu evangelho, livro de Mateus onde se lê:

E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram. E eis que se levantou no mar tão grande tempestade que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. Os discípulos, pois, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Salva-nos, Senhor, que estamos perecendo. Ele lhes respondeu: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem? (Mt 8:23-27)”

Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela (Ef 5:25)”

Imperativo. Assim foi o recado que o apóstolo Paulo deixou aos homens, servos de Cristo Jesus. Não disse que deve, mas disse, amai!

Hoje busquei um pequeno estudo, talvez não tão aprofundado como gostaria, para falar aos homens cristãos deste Brasil, a começar de mim mesmo! Como nós, homens casados, de baixo da graça de Deus precisamos meditar a respeito de tais coisas. Para quem se encaixa neste perfil saiba: tua mulher é uma prioridade em sua vida! Hein? Não deveria ser Cristo? São muitas perguntas, não é mesmo? Voltemos pois ao início de tudo.

Estive olhando a bíblia estes dias a respeito de Maria e a(o)s irmã(o)s de Jesus. Como todo bom curioso pelo assunto, apesar de não ser teólogo, gostaria de pesquisar sobre o contexto gramatical, qual ou quais palavras foram utilizadas para descrever o termo irmão, e ainda quais as possíveis traduções, mas meu ambiente de trabalho me impossibilita de fazê-lo no momento.

Já ouvi dizer que é somente uma palavra e que esta é possível ser traduzida tanto como irmão como primo (carece de fontes). Como todos já sabemos que toda o novo testamento foi originalmente escrito em grego, traduções do latim ou quem sabe aramaico ou hebraico não estão em questão.

Mas eu acredito que simplesmente a bíblia é o suficiente para resolver tal questão. Ela é a principal fonte. Da mesma maneira como foi possível concluir que todas as cartas e livros do novo testamento são textos em grego, devido a análise dos contextos escritos, como por exemplo as explicações de termos da cultura judaica, o que obviamente um judeu não explicará a outro judeu aquilo que ele já sabe, pretendo responder a questão analisando o contexto bíblico. Vamos lá:

Foi-lhe dito: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora, e querem ver-te. Ele, porém, lhes respondeu: Minha mãe e meus irmãos são estes que ouvem a palavra de Deus e a observam (Lc 8:20-21).

As Sete Estrelas e os Sete Candeeiros de Ouro

Este texto é direcionado à igreja de Cristo para que todos saibam que Deus tem falado que há muita pressa em cumprir todas as promessas para as nossas vidas. O que por um lado, para nós, é motivo de alegria, por outro, é motivo de reflexão e arrependimento. Toda esta pressa é devido, nada mais, nada menos, ao fato de que os tempos são breves, e é sobre isso que vamos tratar.

Escreve, pois, as coisas que viste, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas (Ap 1:19).

É possível alguém ser entregue a Santanás por outra pessoa, ou até mesmo pelo próprio Deus? Esta é uma pergunta que talvez assuste muito as pessoas, e por isso, gostaria de estudar um pouco sobre o tema. Vejamos o que a Bíblia fala a respeito. Na verdade, vamos deixar o antigo testamento de lado, e o exemplo clássico de Jó, e nos atentaremos ao novo testamento.

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (Jo 3:16)

Isto quer dizer que na luta que Satanás quer travar contra Deus pelas almas das criaturas, nosso Pai Eterno em sua infinita misericórdia nos deu seu filho divino, ou seja, também Deus, para se fazer fiador de nós, cristãos. Isto quer dizer o mais perfeito amor.

Mas se nosso Pai deseja nos salvar do inimigo de nossas almas, me pergunto porquê ele entregaria nossas vidas justamente a ele?

“Queridos, saiu no seguinte site Zenit a explicação de que isto não é uma publicação do vaticano e sim a opinião do bispo citado abaixo, segue o link para íntegra:
http://www.zenit.org/article-17840?l=portuguese
De qualquer maneira, o artigo continua, visto que abrange muito mais do que simplesmente os novos pecados, como a questão do pecado capital, os sacramentos, etc. Lembrem-se que foi escrito antes do esclarecimento. Abraços.”

Nesta semana, os jornais começaram a anunciar a lista dos novos pecados capitais divulgados pelo Vaticano. Após perceberem que os sete pecados capitais estavam ficando comuns demais, foi apresentada novos motivos de condenação pela Santa Sé. A pretensão do Vaticano é que era necessário adaptar esta lista à nova realidade global.