logo

Você é demais

Obrigado por estar com a gente. Estamos trabalhando duro para abençoar sua vida. E queremos muito te ouvir, você pode falar conosco através dos canais abaixo.

Instagram

0
  • No products in the cart.
0
  • No products in the cart.

Author: Ricardo Cruz

Pedra Angular Brasil > Articles posted by Ricardo Cruz (Page 13)

Meditação sobre Mateus 25:31-46

Muito aquém de falar sobre o livro de apocalipse ou sobre a primeira carta de Paulo aos Tessalonicenses, pretendo fazer uma abordagem séria da exortação que Cristo nos deixou, e ainda diz a quem quer que leia, escute.

Muitas vezes os religiosos se preocupam muito com o aceitar e confessar a Jesus Cristo como Senhor e Salvador, o que não sou nem um pouco doido de discordar, mas acaba perdendo um pouco a também importância do amor ao próximo, da postura que devemos ter enquanto servos do Senhor Jesus.

Por Rev. Enoc Teixeira Wenceslau

Mateus 10.24/25; Lucas 14.26/27; João 6.56/69

Discípulo é aquele que aprende e segue os ensinamentos do seu mestre. Além dos doze, houve muitos seguidores ocasionais de Jesus. Uns, sinceros para serví-Lo, outros, por mero interesse material, como infelizmente ainda hoje acontece nas igrejas.Nos textos em referência, Jesus mostra aos Seus seguidores o que na realidade significa ser Seu discípulo. Não basta conhecê-Lo, é preciso ter compromisso com Ele; não basta  seguí-Lo, é necessário imitá-Lo; não basta reconhecê-Lo como Mestre, é preciso  estar disposto a renunciar muitas coisas por amor a Ele,  ser-Lhe obediente e submisso. Não basta cultuá-Lo, é preciso ter comunhão com Ele. Numa comunhão mística envolvendo a crença de que Ele é uma Pessoa real, que está conosco, e em nós:  “… Cristo em vós, a esperança da glória”…(Colossenses .1:27).

E eis que ficarás mudo, e não poderás falar até ao dia em que estas coisas aconteçam; porquanto não creste nas minhas palavras, que a seu tempo se hão de cumprir”(Lc 1:20)

Após tantos textos falando sobre promessa, estudaremos mais um a respeito. Mas por que tantos textos falando sobre promessas, aguardando estas promessas, o que ocorre entre este período? Bem, parece que é o que Deus quer falar ao meu coração, e a de alguns de vocês. Mas vamos ao tema de hoje: recebi uma promessa de Deus, e agora?

Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra (At 1:8).”

Foi assim que Cristo se despediu de seus discípulos, deixando uma promessa.

Hoje, dois mil anos depois, continuamos recebendo promessas da parte de Deus a respeito de ministério, vida sentimental, familiar, financeira, ou até mesmo do batismo no Espírito Santo. Assim como Cristo prometeu aos seus discípulos, assim tem feito conosco, cristãos.

Eis que o nosso Deus a quem nós servimos pode nos livrar da fornalha de fogo ardente; e ele nos livrará da tua mão, ó rei. Mas se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste” (Dn 3:17-18 )

Que confiança tinham estes homens. Eram filhos de Israel, da linhagem real e dos príncipes, o qual foram escolhidos para serem trazidos a presença de Nabucodonosor, rei da Babilônia, logo após sitiar Judá. Foram escolhidos porque não tinham defeitos, eram belos de aparência, dotados de grande sabedoria, inteligência, instrução, capacitados para assistir ao palácio do rei e lhes ensinar as letras e a língua dos caldeus. Porém eles tinham outra grande característica: eram servos fiéis do Deus altíssimo.

Apologética básica.

Recursos úteis para sua maior compreensão

Caso você não esteja familiarizado com o termo “apologética”, é o ramo da teologia que trata da defesa e prova do cristianismo. Embora não deva, de forma alguma, tomar o lugar da fé, com certeza a apologética nos auxilia na compreensão das verdades bíblicas. Então, vamos nos lembrar disso ao considerarmos algumas coisas a respeito do “… autor e consumador da fé…” [Hebreus 12:2a] o Senhor Jesus Cristo.

Ponto 1Jesus de Nazaré é Deus encarnado! Observe que eu enfatizei “é” e não “foi”. Ele está muito vivo e, neste momento, encontra-se assentado à direita de Deus o Pai, intercedendo a favor daqueles que o Pai Lhe deu.

A glória da última casa será maior que a primeira

A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o SENHOR dos Exércitos, e neste lugar darei a paz, diz o SENHOR dos Exércitos” (Ag 2:9)

Amados, em meio a tantas lutas que vivemos e passamos, esta palavra é de conforto, mas também de muito questionamento. Após viver tantas dificuldades e aflições que esta terra nos oferece, nos resta uma esperança: A glória desta última casa será maior do que a primeira, e ainda neste lugar darei a paz. Paz e glória, são promessas do Senhor ao seu povo.

A história do povo de Deus é marcado por lutas, cativeiros, prostituições, idolatrias, mas o Senhor sempre nos fala: misericórdia quero e não sacrifícios, mais conhecimento de Deus e menos holocaustos (cf Os 6:6). O que o Deus vivo quer e sempre quis é nos abençoar, mas o engano deste mundo acaba enganando também o povo de Deus, que coisa não?

“Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos.”
(Provérbios 27:6)

Primeiro refletimos sobre a ação de uma verdadeira amizade baseada na palavra de Deus em nossa vida. Muitas vezes são como o pensamento de Deus para nós. Não tem foco no prazer ou refrigério momentâneo, mas na verdadeira ação da santificação em nós. E muitas vezes, isto significa dizer abrir mão, significa ser tratado, ou seja, abrir as feridas para que sejam tratadas. Muitas vezes dói, mas é leal. Porque amigos devem ser leais uns para com os outros. Ainda não perfeita como nossa relação com Deus e de Deus conosco. Acima de leal, Deus nos é Fiel, e devemos ser também fiéis a Ele.

E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera (Ge 22:1-3)”.

E aconteceu que Abraão foi um exemplo para nós. Quando leio este texto das escrituras fico realmente encabulado. Não com a atitude visto que muitas vezes, e ainda por muitos, pode ser visto como uma dureza de coração. Mas não é isto que me encabula, visto que discordo desta outra visão. Fico impressionado com o relacionamento que Abraão tinha com Deus.