17 Flares Facebook 7 Google+ 0 Twitter 10 Email -- 17 Flares ×

A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o SENHOR dos Exércitos, e neste lugar darei a paz, diz o SENHOR dos Exércitos” (Ag 2:9)

Amados, em meio a tantas lutas que vivemos e passamos, esta palavra é de conforto, mas também de muito questionamento. Após viver tantas dificuldades e aflições que esta terra nos oferece, nos resta uma esperança: A glória desta última casa será maior do que a primeira, e ainda neste lugar darei a paz. Paz e glória, são promessas do Senhor ao seu povo.

A história do povo de Deus é marcado por lutas, cativeiros, prostituições, idolatrias, mas o Senhor sempre nos fala: misericórdia quero e não sacrifícios, mais conhecimento de Deus e menos holocaustos (cf Os 6:6). O que o Deus vivo quer e sempre quis é nos abençoar, mas o engano deste mundo acaba enganando também o povo de Deus, que coisa não?

Ao ver pela primeira vez o livro de Ageu, lembro que pensei: este profeta deve ter sido um dos que teve menos importância em toda a bíblia, visto só ter dois capítulos. Mas hoje ao meditar nesta palavra o Senhor me mostrou que na verdade, foi tão importante quanto qualquer outro, pois levou a palavra de Deus. O que muda neste livro não é o profeta, mas sim o Israel de Deus.

Ao ler este livro, alcançamos o antepenúltimo livro do antigo testamento, quer dizer que já passou passamos por trinta e seis livros, se não me engano, livros estes que falam sobre a história deste povo, de suas dificuldades, suas lutas, e suas vitórias, em frente a um Deus onipotente e misericordioso. Mas nós vemos um povo ralando para entender que a vontade de Deus é boa, agradável e perfeita (Rm 12:2). Um povo que não se atenta a voz do Senhor que diz: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas (Jr 6:16), mas infelizmente a resposta que vemos não só neste versículo mas por quase todo a bíblia é: mas eles dizem: Não andaremos nele.

Mas neste livro, eu glorifico a Deus por esta geração, por este povo, rei e sacerdote que nos deixaram o exemplo da experiência que é melhor obedecer do que sacrificar (cf 1Sm 15:22). É melhor atender.

Israel encontrava-se em um tempo onde tudo parecia normal e que talvez achassem que devessem se dedicar a eles mesmo, e esperar o tempo de edificar a casa do Senhor. Mas algo chamava a atenção daquele povo, trabalhavam, comiam, bebiam, semeavam, esperavam o muito, mas somente o pouco lhes vinha.

Eu acho isto interessante, porque retrata a maior parte dos auto-intitulados cristãos de hoje em dia. Conhecem e aprenderam um pouco de Deus, da história que talvez seus pais aprenderam, do que ouviram, e seguem suas vidas, com um certo respeito a Deus, mas não tem Deus verdadeiramente em suas vidas. Trabalham, comem, bebem, assim como muitos de nós trabalhamos, comemos e bebemos, recebemos nossos salários. Mas a palavra do Senhor diz que recolhiam pouco, não se fartavam, não se saciavam, não se aqueciam, o salário que recebiam, era como recebidos em sacos furados.

As vezes a sua vida está assim, parece que planta, planta, mas não colhe na medida que deveria ou esperava, parece que as coisas não vão para frente. As vezes parece que come mas não mata a fome, bebe, mas nada que bebe, sacia sua sede. Quantos coisas almeja, quantos desejos assolam a sua alma, mas nada realmente te farta, te sacia. Traz somente uma alegria efêmera, que dura tão pouco, e que em pouco tempo, é necessário mais. As vezes você dá um duro o mês inteiro, mas o “salário” que recebes dura somente uma semana ou até um momento, ou dia.

Não sei se você é como a Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá ou como a Josué, filho de Jozadaque, o sumo-sacerdote. Não sei se ocupa cargos de honra para os homens, ou quem sabe posições de honra dentre as religiões, não sei de quem é filho, ou se as vezes simplesmente faz parte do povo. Eu sei que o Senhor Jesus conhece a sua vida, a vida de seus pais, sabe que cargo e posição ocupa, sabe a que tem dedicado seu tempo, o seu trabalho, a que se deleita o seu suor. Sabe os seus valores, sabe o que sacrifica, o que adora, Ele sabe. E assim como Ele falou a aquele povo, seja a governador, sumo-sacerdote, seja ao povo, ele fala a você: Considerai os vossos caminhos (Ag 1:4).

E voltando ao texto, foi exatamente isso que todo aquele povo fez, ouviram ao Senhor e o temeram. O Deus todo poderoso não queria destruir aquele povo, para aqueles que tem esta visão do “Deus do antigo testamento”, olhem para este livro e vejam claramente que não é a vontade do Senhor. Temer, respeitar e seguir o caminho do Senhor, executar a vontade dEle é para o nosso bem, e para a nossa salvação. É alcançar o melhor de Deus, reservado para as nossas vidas.

Foi então que o Senhor falou através do profeta Ageu: Eu sou convosco! Ele é conosco amados. Quantas vezes queremos fazer tudo com nossa própria força, mas as vezes chega um momento em que não conseguimos ir adiante, ou as vezes, aquilo que conseguíamos, não conseguimos mais. Isto não é ser fracassado, isso não é ser pior, inferior. Isso é o Senhor Deus mostrando que você se esqueceu dEle, e ele permite a seca sobre a terra, sobre os montes, sobre o trigo, o mosto, o azeite, sobre a terra que produz, como também sobre os homens, sobre o gado, e sobre os trabalhos de suas mãos. Bem aventurado és tu que está nessa situação, porque o Senhor está a te chamar, Ele quer que você o escute, saiba que Ele é contigo, não por saber, mas quer que tenhas um espírito conectado ao dEle, quer suscitar o seu espírito.

“E o SENHOR suscitou o espírito de Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e o espírito de Josué, filho de Jozadaque, sumo sacerdote, e o espírito de todo o restante do povo, e eles vieram, e fizeram a obra na casa do SENHOR dos Exércitos, seu Deus” (Ag 1:15)

Talvez aquele povo pensasse “Ah, deixa isso para depois, fazer a obra de Deus é muito chato, gastará o meu tempo, eu preciso trabalhar mais, preciso cuidar mais da terra”, mas eles se colocaram em posição e o Senhor os capacitou. E isto aconteceu de tal maneira que tudo foi muito rápido, e eles viram em suas próprias vidas que o que é falado sobre a obra de Deus, o que pensamos, e a prática, são bem diferentes.

O texto diz que isto aconteceu no vigésimo quarto dia do sexto mês do segundo ano do rei Dário. Ou seja, vinte e três dias após o Senhor levantar o seu servo, o profeta Ageu, para falar com aquele povo. Isso quer dizer que eles ouviram, que eles entenderam, que eles não duvidaram da voz do Senhor, que eles não ficaram questionando, que eles não ficaram protelando. Entendam uma coisa amados, quando Deus fala, Ele faz, e faz rápido. Quando Ele nos exige algo, e nós nos colocamos na posição de receber, de obedecer aquilo que nos é ordenado, de não duvidar que o Deus que fez os ouvidos é capaz de nos ouvir e ainda que o Deus que fez a boca pode falar e fala, as coisas desenrolam em nossas vidas!

Com quase um mês de começarem esta obra, veio ainda uma palavra de motivação a aquele povo dizendo:

“Ora, pois, esforça-te, Zorobabel, diz o SENHOR, e esforça-te, Josué, filho de Jozadaque, sumo sacerdote, e esforça-te, todo o povo da terra, diz o SENHOR, e trabalhai; porque eu sou convosco, diz o SENHOR dos Exércitos” (Ag 2:4)

E também uma promessa:

“E farei tremer todas as nações, e virão coisas preciosas de todas as nações, e encherei esta casa de glória, diz o SENHOR dos Exércitos. Minha é a prata, e meu é o ouro, disse o SENHOR dos Exércitos. A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o SENHOR dos Exércitos, e neste lugar darei a paz, diz o SENHOR dos Exércitos” (Ag 2:7-9)

Com exatos três meses de obediência daquele povo a voz do Senhor, fundaram o templo do Senhor. E então eis que o Senhor mais uma vez roga ao seu povo por algo que chamamos de santificação. O Senhor não quer holocaustos, que façamos obras para salvação, se nossa alma caminha para a perdição. Ele quer que nos santifiquemos. Que nossas obras sejam santas. Que nós que pisaremos no templo Santo do Senhor venhamos estar também santificados. De nada vale a construção de templos, de altares, se a oferta não é agradável ao Senhor. O Senhor não toca em coisas imundas, não recebe imundícias. Sejamos pois nós mesmos ofertas pacíficas e agradáveis ao Senhor, busquemos santificar-nos, sendo imitadores de Cristo (1Co 11:1). A palavra de Deus nos garante, assim como o próprio apóstolo Paulo nos relembra dizendo que Não há um justo, nem um sequer (Rm 3:10). Mas também nos diz que podemos ser justificados gratuitamente pela graça de Deus, através da redenção que há em Cristo Jesus (Rm 3:24). Em Cristo, somos justificados, logo, em Cristo somos justos. Da mesma maneira, em Cristo somos santificados, logo, através de Cristo podemos sim ser santos. Façamos pois o que está escrito: Sede santos, porque eu sou santo (1Pe 1:16, cf 1:15 e ainda Lv 20:7).

Mas o Senhor também nos promete que nada será em vão, a sua promessa se concretizará:

“Porventura há ainda semente no celeiro? Além disso a videira, a figueira, a romeira, a oliveira, não têm dado os seus frutos; mas desde este dia vos abençoarei” (Ag 2:19)

E que dia é esse? O dia em que você fundou o templo do Senhor, que você levantou o altor de Deus em sua vida! Que você entendeu que de nada vale ir para a sua casa se aquecer, se não aquece a sua alma na casa do Senhor, não se alimenta da palavra de Deus. Jesus disse: “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede”(Jo 6:35). Lembra que falamos sobre o não se fartar, e não se saciar? A obra realizada lá na cruz do calvário não foi em vão, aceite-a pois ela foi por mim, e por você.

“Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo” (Jo 6:51)

Guarde esta palavra meu irmão. Não está dando mais conta? Lembre-se que passará o céu e a terra, mas a palavra do Senhor não passará (Mt 24:35; Mc 13:31; Lc 21:33). Ele é Fiel para cumprir toda as suas palavras, inclusive essa. Aceita a vontade do Senhor sobre sua vida, lembre-se do que o Senhor Jesus disse:

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt 11:28-30)

Se você gostou desse texto vai gostar também:

  1. O que é óleo de unção ou ungir? De onde veio? E para que serve?
  2. A glória desta última casa será maior do que a da primeira
  3. O que é pedra angular?
  4. Os segredos de Deus no trabalho
  5. Esboço de pregação sobre Ezequias
  6. Como ser cristão (pastor, missionário, obreiro, líder), ganhar e usufruir do dinheiro
  7. Por que está abatida ó minhalma
  8. Deus tem prazer em te abençoar, ele trabalha por você
  9. Ex-espírita conta como Deus a chamou, vale a pena ler

Ricardo de Magalhães Cruz (04/06/2008)
Texto Bíblico: Almeida – Corrigida, Fiel ao texto original